terça-feira, 27 de outubro de 2009

cartum RAFAEL




Título: Poste errante
Técnica:
Caneta e computador
Veículo: Blog do aoutor
Local: Porto Alegre

16 comentários:

Anônimo disse...

Tá tudo perfeito:

A hora indefinida,
ninguém na rua,
a "posição da câmera",
a clareza do desenho
nessa idéia complexa.

É quando o absurdo fica coerente.

Enfim, perfeito

Roberto Silva

Fraga disse...

O dia em que houver uma edição impressa de O Melhor do Tinta China (e vai haver, prometo), esse não escapa. Maravilha, Rafael.

Anônimo disse...

Gênio! CADO

Anônimo disse...

E pode virar série: nas horas mortas da madruga um itinerante inesperado...
Edgar

thiago disse...

baita cartum, com um belo conjunto de detalhes!

Anônimo disse...

Sem sombra de dúvidas, um desenho claro e uma idéia luminosa!!
louzada

koostella disse...

Como normalmente o Moa diria:
"Como é que eu não pensei nisso antes ?"
E eu digo:
Por que é que eu nunca pensaria nisso antes?

Anônimo disse...

Este cartum carrega este desejo de que acontecessem coisas deste tipo enquanto o mundo dorme.
Seria apenas uma questão de sorte acordar na madrugada pra tomar uma água e pegar o momento exato em que todos os postes do mundo executam a secular troca de lugar.
Que idéia, Rafael!
Como diz o Koostella ao citar a mim mesmo, "Por que é que eu nunca pensaria nisso um pouquinho antes que o Koostella?"
Moa

Anônimo disse...

Ao fazer a pergunta acima, me dei conta do seguinte:
é possível que, se tivesse me ocorrido esta singular idéia,... (e é bem possível mesmo!), eu não teria feito nada com ela. "Que bobagem", eu diria. "Não tem gag nenhuma aí! É só um poste com perninhas. Não merece que eu gaste o o meu precioso tempo, minhas lapiseiras e canetinhas nesta insignificância."
Eu estou querendo dizer que a minha inveja enquanto olho este desenho é muito mais profunda do que parece. É o reconhecimento de que existem frequências no humor ou na poesia visual ou seja lá o que for isto, que a minha anteninha não consegue captar.
Pode não parecer, mas é um elogio, viu seu Rafael!
Moa

Vilanova disse...

Parabéns, Rafael!!
Que idéia, que composição!!! Sensacional!!!!

Vilanova

Anônimo disse...

tem um elemento magritteano no poste que pode ser visto tambem como a aquela faixa pintada q tem divide as ruas e estrads em duas mãos.
santiago

Anônimo disse...

Qto mais simples a idéia, mais se presta a comentários complicados...
Edgar

Tati disse...

Tenho que admitir que quando o Rafael me mostrou o esboço achei uma besteira. Pensei o mesmo que o Moa, que seria uma idéia estapafúrdia.
Parabéns, Rafinha, pelo trabalho maravilhoso e pelo teu crescimento como cartunista que tenho o prazer de acompanhar. Te amo!

Fernando Romano disse...

Taí a explicação perfeita do motorista bêbado que bateu o carro depois do porre: "não fui eu, a culpa foi daquele poste que tava atravessando a rua..."

sica disse...

cara...

Eduardo Simch disse...

Que legal, da a impressão que ele ta levando as mariposas para passear!