sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

charge KOOSTELLA




Título: Candelabro
Técnica: Caneta e computador
Veículo: Blog do autor
Local: Salvador

18 comentários:

Anônimo disse...

O Bier publicou a mesma idéia na terça, dia 30 de dezembro.

Anônimo disse...

É uma variação interessante da idéia, com a fumaça do avião e dos mísseis, e os alvos. Quase uma versão mais "didática" do desenho do Bier (como se alguém não tivesse entendido).
Edgar

Kayser disse...

Baita charge! E não é exatamente a mesma do Bier (que era boa também).

Anônimo disse...

Vulgarizem o profeta "maomé"
pra ver o que é bom para a tosse
(cof!cof!)

koostella disse...

Pois é, enviei essa para o Tinta China meio contrariado por causa da charge do Bier. Mas essa eu tirei do gavetão, eu já desenhei ela em 2003 e participou até do concurso iraniano "Palestinian are Homeless" em 2004.
O mais chato não é nem o fato de ter charges parecidas, chato mesmo é perceber que a cada ano que passa a charge sobre a Palestina é o mesmo banho de sangue de sempre.

Anônimo disse...

Pois é, mas fica simplista, se não injusto, usar um símbolo do Judaísmo pra falar do estado de Israel, ou do governo, das forças de defesa de Israel. Assim fica parecendo que é o povo judeu contra o povo palestino.
Lizi

koostella disse...

Se o povo de Israel não quer que seja confundido o judaismo com o estado de Israel, que tire a estrela da bandeira.

tati schostack disse...

Koostella e Bier
Não tem haver com confusão. Israel é um Estado Judeu, isso é óbvio. Mas não se deve tomar todos os judeus do mundo como defensores da ideologia de um Estado. É o mesmo que condenar todos os cristãos pelo Inquisição Espanhola. A menorá e a chanukiá, símbolos utilizados por vocês, são símbolos do povo judeu. Eu sou judia e não havia me manifestado até agora em relação às charges. Fico feliz que mais alguém, como a Lizi, tenha manifestado seu desacordo com as idéias apresentadas.

Anônimo disse...

É... o humor (e a charge) trabalham com sínteses, ou seja, simplificações. Se Israel usufrui o bônus de ser o 'estado judeu", recebendo apoio midiático, financeiro, etc, dos patricios do mundo todo, especialmente (mas não só) dos EUA, é natural que também sofra o ônus das críticas, quando faz o que está fazendo.Quem for contra essa barbaridade, independente de etnia, religião ou cultura, que se manifeste. A cômoda posição de ser contra, mas em silêncio, acaba sendo conivência. Com um crime contra a humanidade.
Edgar

koostella disse...

Israel é um país livre, democrático e judeu. Sinto muito, mas é o país dos judeus, ou não é? A tal terra prometida.
Assim como os países islamitas, eles deixam clara a posição religiosa do estado.
Se o povo de Israel não concorda com o genocídio que seus militares fazem em Gaza, já deveriam ter parado de votar em facistas.

Hals disse...

O que o Edgar falou é pertinentíssimo: a comunidade judaica internacional colabora financeiramente com o estado de Israel. Se o dinheiro fosse usado somente para assentamentos, kibutz, programas sociais e etc, visto que Israel acaba abrigando inúmeros judeus, seria uma coisa. Mas isso acaba financiando assentamentos em território palestino, armamentos, entre outros.

Outro ponto importante é que o chargista, no seu trabalho de síntese, recorre a símbolos que representem o sujeito abordado na charge. A estrela de Davi faz parte do brasão do exército israelense, por exemplo.

Guga Türck disse...

Israel é um Estado laico?
Me parece que não...
Se essa premissa for verdadeira, os judeus são responsáveis, sim, pelo massacre.
Bem nessa, são contra essas atrocidades? Beleza! Ninguém melhor do que os próprios judeus para tentar fazer parar esse banho de sangue e a estigmatização de seus símbolos sagrados.
É isso que faz o Estado de Israel, mata civis inocentes e estigmatiza o judaísmo. Não são o Koostela e o Bier que profanam, mas, sim, o Estado e a política facista de Israel...

Mas uma coisa eu gostaria de ver, uma resposta contundente dos amigos da GRAFAR sobre o absurdo publicado pelo Iotti. Uma charge mau-caráter, reducionista e com a clara intenção de justificar um banho de sangue que ocorre dioturnamente. Me dói saber que este cidadão já foi presidente, inclusive, da associação... Pessoas como Hals, Santiago, Edgar, Koostela, Bier, Eugênio, Kayser e tantos outros que conheci não merecem essa associação com o Iotti. Gostaria de ver uma resposta.

Grande abraço e seguindo na luta!

tati schostack disse...

Não gosto de discussões pela internet e não queria me estender, mas dessa vez não posso deixar de falar. É uma pena ver que pessoas esclarecidas apresentem idéias como essas. Vocês continuam generalizando conceitos e defendendo a idéia de que o povo judeu é culpado. O Koostella, na sua última declaração, fez uma confusão fenomenal. Em nenhum momento eu disse que Israel não é um Estado Judeu, pelo contrário. O que eu disse é que existem muitos mais judeus pelo mundo, que não estão no Estado, que não votam lá, que não mandam dinheiro para lá. A minha crítica é quanto a idéia que vocês apresentam de que é o povo judeu que está todo no ataque. O Hals tem razão, o chargista faz uso de símbolos. Não sou contra a livre expressão, acho as críticas extremamente saudáveis, assim como as charges, representem ou não a minha opinião. Por isso, acho normal usarem a Estrela de David, símbolo da bandeira do Estado, na charges. Mas a chanukiá e a menorá não são símbolos de Israel; são símbolos do povo judeu, que é uma coisa maior que o Estado. Quem tem que sofrer o ônus da crítica, Edgar, é o Estado, não os judeus em geral. Quanto a ti, Guga, eu sinto muito. Dizer que "os judeus são responsáveis, sim, pelo massacre" demonstra grande brutalidade e ignorância da tua parte, o que eu já esperava, pois é natural esse teu exagero sempre que tratas de qualquer assunto comigo. O teu comentário, para mim, teve cunho pessoal e a intenção de me agredir.
Lembro, mais uma vez, que não defendo o que está acontecendo. Não estou entrando no mérito da guerra. Estou me manifestando porque vocês estão estigmatizando, generalizando do Estado de Israel para todo o povo judeu, e assim acabam por me acusar, acusar a mulher e os filhos do Moa e mais tantos outros judeus. São comentários e pensamentos assim que levam ao preconceito e suas conseqüências.
Estou disposta a continuar esta conversa quando nos encontrarmos, mas por aqui, eu paro agora, pois realmente não gosto de discutir via internet.

Anônimo disse...

Imagina se gostasse!!!
Elaine Salin

Hals disse...

Só para ilustração, a menorá é parte do Brasão de armas (Coat of Arms)de Israel sendo,inclusive, grafado no passaporte israelense.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Brasão_de_armas_de_Israel

koostella disse...

É pessoal, eu como cristão gostaria de deixar clara a minha revolta contra os cartuns de Jesus que foram publicados no mês passado. Fiquei muito ofendido.

Guga Türck disse...

Quanto a ti, Guga, eu sinto muito. Dizer que "os judeus são responsáveis, sim, pelo massacre" demonstra grande brutalidade e ignorância da tua parte, o que eu já esperava, pois é natural esse teu exagero sempre que tratas de qualquer assunto comigo. O teu comentário, para mim, teve cunho pessoal e a intenção de me agredir.

Sinto muito por tu pensares dessa forma. Mais ainda por distorceres minhas palavras.

Anônimo disse...

Fora as discussões todas, acaloradas e tudo mais, acho que está estabelecido um recorde de comentários: 17 até o momento. Sinal que além de um ótimo periódico, o Tinta China é um grande e aberto forum. (CADO)